ENTREGAS
(67) 99826-0686
Reviva centro

Sem conseguir trocar sonda do pai, advogada denuncia descaso e superlotação em UPA

Denunciante descreve desespero de pacientes na fila de espera; Sesau admite superlotação

23 JAN 2019
Rodson Willyams
15h00min
Foto: Repórter Top

Odete Cardoso, 40 anos, entrou em contato com o TopMídiaNews denunciando a demora no atendimento na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Coronel Antonino, em Campo Grande, na manhã desta quarta-feira (23).

A advogada relata que chegou ao local por volta das 11h acompanhando o pai, Antônio Borges, 78 anos, para fazer a troca da sonda e, até 13h, ainda aguardava atendimento.

"O meu pai está sentindo muita dor. Viemos aqui para fazer a troca da sonda que se deslocou durante a madrugada. Ele não consegue fazer xixi e, por isso, está sentindo muita dor. Fui na Unidade Básica da Família São Benedito, mas a médica não estava na unidade em razão de curso e, por isso, viemos para cá", disse a advogada.


(Idoso aguarda a troca de sonda - Foto: Repórter Top)

Além disso, Odete ainda afirma que a unidade está com superlotação e que cerca de 21 pacientes estão local aguardando uma transferência para hospitais. "Nós estamos precisando de uma maca para fazer o procedimento, mas não tem local porque está tudo ocupado. Tem um homem que está infartado aguardando dentro da sala de observação. Da forma como está não dá".

Odete ainda afirmou que tem pacientes que estão local desde às 8h aguardando atendimento. "Tem uma mulher que está deitada no banco chorando de dor e até agora não foi atendida. Um cadeirante disse que iria embora que porque estava cansado de sentir dor e estava com fome".

Resposta

A assessoria de imprensa Secretaria Municipal de Saúde admitiu que o local está cheio. Porém, conforme o último senso, às 10h, havia 30 pacientes aguardando e, com tempo de espera de duas horas, dentro do limite de quatro horas.

Sobre o caso específico, a assessoria explicou que "a troca de sondas é feitas nas unidades básica de saúde e, quando o paciente vai para a UPA, acaba entrando na classificação azul ou verde. Com isso, o atendimento acaba sendo demorado, uma vez, que não é o caso de prioridade".

Veja também