Menu
Busca sábado, 19 de outubro de 2019
Top Ms
Saúde

Pacientes denunciam ar-condicionado quebrado e insetos no Hospital Regional

Baixa umidade do ar agrava a situação de pacientes com problemas respiratórios

18 setembro 2019 - 16h22Por Diana Christie

Pacientes da ala amarela do Hospital Regional estão sofrendo em dobro nesses dias de calor intenso em Campo Grande. Além das enfermidades, eles enfrentam ares-condicionados estragados e insetos, que entram pelas janelas precariamente abertas.

“O Hospital Regional está com o ar-condicionado da ala amarela estragado há meses. O pessoal é obrigado a deixar a janela aberta e, com isto, entra mosca e outros bichos, além do calor que faz dentro da sala com os equipamentos ligados. Fica uma situação muito crítica para os pacientes”, conta leitor, que prefere não se identificar.

O mês de setembro tem tido condições climáticas nada favoráveis, com recordes de calor em Mato Grosso do Sul. Segundo o Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), até o momento, foram computados apenas 199 mm de chuva na primeira quinzena do mês. Mais um pouco e será a maior estiagem desde 2017.

As temperaturas elevadas associadas à ausência de chuva resultam em umidade do ar em níveis críticos, semelhantes ao deserto. Isso prejudica a respiração, especialmente das pessoas que já possuem problemas respiratórios crônicos. Nos últimos dias, o índice de umidade chegou aos 10% em Amambai, Coxim e Sonora.

Em nota, a assessoria do hospital informou que "houve uma pane no aparelho de ar-condicionado do HRMS. O problema já foi diagnosticado. O hospital entrou com procedimento para execução de conserto dos aparelhos e a previsão é que no prazo de até dez dias estarão em pleno funcionamento".

Repórter Top

Você também pode enviar flagrantes, acidentes, denúncias, fotos, informações que podem virar notícia no nosso site, mandando via WhatsApp pelo número (67) 99826-0686.

* Matéria editada às 16h44 para acréscimo do posicionamento do HRMS