(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

Todos os postos de saúde abrirão nesse sábado para o dia D da vacina contra gripe

Em Mato Grosso do Sul, a meta é imunizar 90% do publico alvo de 791.397 mil pessoas

3 MAI 2019
Assessoria
18h47min
Foto: Edemir Rodrigues/Assessoria

Até a tarde dessa sexta-feira (03.05), Mato Grosso do Sul já vacinou mais de 182 mil pessoas contra Influenza, o que representa uma cobertura vacinal de quase 24%, conforme dados do Datasus. Nesse sábado (4) os postos de vacinação de todo país estarão abertos excepcionalmente para o dia "D" de mobilização nacional contra gripe.  A meta é imunizar 90% do publico alvo no Estado, que é de 791.397 mil pessoas - consideradas grupo prioritário, já que possuem maiores riscos de sofrer agravamento da saúde se contraírem a doença. 

A campanha de vacinação teve início em 10 de abril e se estende até o dia 30 de maio. A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção. 

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica, da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Gislaine Coelho Brandão, alerta a população sobre a importância de tomar vacina. "É de extrema importância que as pessoas tomem a vacina, já que os grupos prioritários são formados por pessoas que tem maior risco de agravamento da doença. Até meados de abril, estávamos vacinando apenas as gestantes e crianças maiores de seis meses e menores de 6 anos. Mas agora a vacinação já esta aberta para todos o grupo prioritário", explicou.  

O público alvo é formado por crianças (de seis meses a menores de 6 anos); gestantes; trabalhadores de saúde; povos indígenas; puérperas (mulheres até 45 após o parto); idosos (a partir dos 60 anos); professores da rede pública e privada, pessoas portadoras de doenças crônicas e outras categorias de risco clínico; população privada de liberdade, incluindo adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; e funcionários do sistema prisional, além de profissionais das forças de segurança e salvamento, integrados ao grupo prioritário ainda em 2019.

Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, devem apresentar prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica. 

2018

Em 2018, Mato Grosso do Sul alcançou a cobertura vacinal contra Influenza com índice de 92,68%  do público alvo. Os professores alcançaram a maior cobertura vacinal do Estado, com índice de 125,17%. Em seguida vieram as puérperas  com 102,39%. Os idosos com idade acima de 60 anos alcançaram  o índice de 101,46%. Já a população indígena vacinou 88,73% do seu público, trabalhadores em saúde conseguiram vacinar 97,92%. As crianças de 6 meses a menores de 05 anos (2018) registraram 84,53% de vacinação e gestantes ficaram com 81,82% de cobertura vacinal.  

Já no grupo de comorbidades foram vacinadas 84.905 mil pessoas. Para a população privada de liberdade 9.436 foram disponibilizadas  e 5.215 funcionários do sistema prisional  foram imunizados. Como esses grupos não eram contabilizados pelo Datasus, ainda em 2018, não existem índices em porcentagem na cobertura vacinal. Nesse ano, o Datasus já contabiliza todos os grupos prioritários.  

Nacional

Em todo o país, a campanha conta com uma estrutura formada por cerca de 41,8 mil postos de vacinação e com a participação de aproximadamente 196,5 mil pessoas. Além disso, serão utilizados mais de 21,5 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais, que possibilitarão a vacinação em populações que vivem em áreas de difícil acesso, como as ribeirinhas e os povos indígenas.

Até o dia 3 de maio, 14,5 milhões de pessoas foram vacinadas no Brasil. O quantitativo representa 24,5% do público-alvo da campanha no país.

A vacina produzida para 2019 teve mudança em duas das três cepas que compõem a vacina, e protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da Organização Mundial de Saúde (OMS). 

A composição da vacina é estabelecida anualmente pela OMS, com base nas informações recebidas de laboratórios de referência sobre a prevalência das cepas circulantes. A recomendação sobre a composição da vacina ocorre no segundo semestre de cada ano, para atender às necessidades de proteção contra influenza no inverno do Hemisfério Sul.

Veja também