Menu
terça, 25 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Top Esporte

CBF já alterou tabela fora do prazo, mas nega título corintiano no campo

07 novembro 2015 - 11h24Por Uol

Ao rejeitar a alteração no jogo do Corinthians para domingo, impedindo um possível título no campo, a CBF alegou que isso iria ferir o regulamento que prevê mudanças na tabela só com dez dias de antecedência, além de questões de segurança. Mas a própria entidade já fez série de mudanças em partidas fora deste prazo por diversas razões, segundo levantamento do blog.

Com a vitória sobre o Atlético-MG, no último domingo, o time alvinegro pode ser campeão brasileiro se derrotar o Coritiba, no sábado, e o Galo não vencer o Figueirense, no domingo. Durante a semana, o técnico Tite e jogadores pediram adiamento da partida para que pudessem ganhar a taça na Arena Corinthians e não no sofá na frente da TV.

A diretoria da CBF rejeitou a reivindicação. O argumento mais forte é de que o artigo 13 do Regulamento de Competições exige um pedido de mudança dez dias antes do jogo. Fontes da entidade reforçam que nem a confederação, por iniciativa própria, poderia desrespeitar essa antecedência.

Além disso, a entidade alega que há um veto da PM à alteração para não coincidir com partida do Palmeiras, no domingo. Outro ponto é que seriam feridas normas do Procon em relação ao consumidor já que todos os ingressos foram vendidos.

Uma pesquisa do blog, no entanto, mostra que a CBF realizou pelo menos dez modificações em locais, horários ou dias de jogo com menos de dez dias de antecipação. As razões são diversas: emergência por chegada atrasada de time, evitar conflito com jogo da seleção, opção do mandante, questões de segurança, aumentar o intervalo entre partidas e decisão do STJD.

O jogo Joinville x Chapecoense, pela 24a rodada, foi adiado em um dia apenas na manhã da partida porque o voo do time de Chapecó tinha atrasado pelo mau tempo. A alegação era de que não havia tempo para o time se preparar adequadamente.

Já o confronto entre Vasco e Atlético-PR passou de São Januário para o Maracanã a só três dias antes da sua realização. A mudança atendeu um pedido do judiciário para preservar a segurança de jogadores e comissão técnica contra possíveis agressões da torcida.

Dentro da CBF, alega-se que fatores externos justificam essas mudanças. No caso do possível título corintiano, a argumentação da entidade é de que a situação é inerente ao Brasileiro e não havia como prever essa situação a dez dias.

Mas houve opções por motivos menos emergenciais. Sport x Chapecoense teve alteração porque a partida ficaria próxima de jogo da Sul-Americana. Inter e Figueirense foi modificado para evitar coincidência com a festa da Revolução Farroupilha.

A cinco dias da partida, Chapecoense e Sport teve horário mudado para não coincidir com o jogo da seleção na Copa América. E, por coincidência, o Corinthians e Atlético-MG teve seu horário mudado a nove dias de ser realizado para um ajuste à programação da Globo.

A CBF rechaça as críticas de que prejudica a festa do Brasileiro ao criar uma possibilidade para o campeão do sofá: aponta que tem feito o máximo para promover a competição. Resta saber se tem acertado seus passos.