Menu
Busca domingo, 19 de janeiro de 2020
Algo mais

Com sonho de ser modelo, Victoria enfrenta dificuldades e busca patrocínio em Campo Grande

Menina tem 10 anos e já carrega o título de Miss Infantil Campo Grande

28 dezembro 2019 - 13h25Por Nathalia Pelzl

A pequena Victoria Christina Nunes Lisboa, 10 anos, atualmente carrega o título de ‘Miss Infantil Campo Grande’ e deseja levar a carreira de modelo para sua vida adulta.

Quem conta sobre os projetos é a dona de casa e mãe da Victoria, Lidiane da Silva Nunes, 36 anos. “Ela gosta muito, disse que a carreira vai ser de modelo, digital influencer e também sonha em ser veterinária”, diz orgulhosa.

A menina é credenciada em uma agência da Capital e já faz alguns trabalhos. “Ela começou o ano passado, se inscreveu no projeto passarela e, desde então, vem se aperfeiçoando”.

No entanto, como a família é de origem humilde, os recursos para viagens e estadia para a participação em concursos são limitados e, muitas vezes, é preciso abrir mão e deixar de participar.

“Estou desempregada, meu marido trabalha, patrocínio é difícil. Eu tiro do meu orçamento. Minha vó vendeu a casa e me deram um pouquinho, que investi na carreira dela. Agora, no início do ano, ela vai para o Rio de Janeiro”.

A mãe explica o motivo da viagem. “Ela vai com uma amiga que o filho fez um curta e vai para abertura do evento. Vai ter um gasto, mas estou vendo como vou fazer, parcelar e correr atrás de patrocínio”, destaca.

Coruja, a mãe fala que, apesar da pouca idade, ‘Vivi’, como é chamada, já tem vasta experiência.

“Queria uma ajuda, de repente uma divulgação em outdoor para que alguém do ramo perceba o talento. A Vivi tem um bom currículo, além de ‘Miss Infantil Campo Grande’, ela é vice ‘Miss Mato Grosso do Sul’, já participou de peça de teatro e tem vários seguidores nas redes sociais”.

O que mais chama atenção, segundo a mãe, é que mesmo com todas as dificuldades, Vivi é uma criança pé no chão.

“Não é tudo que participamos, pois tudo tem gasto. O retorno também é demorado. Quando algo não dá certo, me dói muito, mas a Vivi entende , é bem compreensiva”, finaliza.