tce janeiro
Menu
quinta, 27 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Campo Grande

Armas de PRF achado morto 'sumiram' e caso vira mistério em Campo Grande

Ele teria tirado a própria vida depois de balear o amante da esposa em um motel no Nova Lima

29 novembro 2021 - 19h46Por Thiago de Souza

O caso do policial rodoviário federal, Tony Emerson Moretto, encontrado morto, na tarde deste domingo (28), ganhou novo contorno, nesta segunda-feira (29), em Campo Grande. As armas usadas por ele, para balear o suposto amante da esposa e, em tese, tirar a própria vida, não foram encontradas. 

Conforme apurado ainda no domingo, o PRF estava caído no chão, com marca de tiro na cabeça, em uma estrada de terra, nas proximidades da MS-040. A hipótese mais provável é que ele tenha tirado a vida, já que, horas depois de balear o amante e agredir na esposa, em um motel, na sexta-feira (26), ele deixou mensagem em tom de despedida. 

No local do achado do corpo de Tony, não foi noticiada a presença de nenhuma arma. A ex-mulher dele, contou que, quando o agressor invadiu o motel, portava com duas pistolas. 

Um policial militar, que teria atendido a ocorrência do achado de cadáver de Emerson, disse que entregou o armamento à Polícia Rodoviária Federal. Essa informação foi negada pela PRF, por meio da assessoria. 

A PRF destacou que não recebeu nenhum armamento, inclusive, enfatizou que o procedimento correto é entregar todo e qualquer material da cena da morte do policial à perícia técnica. 

O caso da morte do PRF foi atendido inicialmente pelo plantão da Depac Cepol e já está com a 4ª DP, nas Moreninhas. 

Tonny estava na PRF há 16 anos e atualmente trabalhava na delegacia de Guia Lopes da Laguna. Ele, aparentemente estava casado e deixa uma filha.