TCE JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
segunda, 27 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Campo Grande

Destituição de advogada da Caixa de Assistência foi retaliação política, diz mensagem

Caso gerou polêmica e conteúdo desmente presidente da OAB/MS, Mansour Karmouche

01 maio 2021 - 14h40Por Thiago de Souza

A advogada Fernanda Mello Cordeiro, até então delegada da 4ª Subseção de Dourados da Caixa de Assistência dos Advogados da OAB/MS, apresentou mensagem de texto que comprova que ela foi destituída do cargo por retaliação política, em Dourados. 

Cordeiro foi destituída do cargo de forma sumária, (veja aqui) no dia 22 de abril, por ordem do diretor-presidente da Caixa, José Armando Amado. 

A advogada expôs o caso como perseguição política, já que manifestou apoio à advogada e pré-candidata à presidência da OAB, Rachel Magrini Sanches e a situação teve grande repercussão no meio jurídico. 

Á época da demissão de Fernanda, o presidente da OAB/MS, Mansour Elias Karmouche, negou qualquer tipo de interferência política e disse que a Caixa é independente da Ordem. 

No entanto, na representação, Fernanda mostrou print de mensagem enviada por José Armando, onde ele diz claramente que o motivo da destituição era a proximidade das eleições na Ordem e por conta que ela apoiava uma chapa concorrente do grupo que atualmente comanda a OAB. 

Na mensagem, José Amado diz: 

‘’Estamos, nesse momento, passando por tempestades, pois o início do nosso processo eleitoral da Seccional e Subseções começou. Hora de se fazer alianças visando as eleições... Neste interim, infelizmente estamos em caminhos diferentes, na busca da nova direção estadual, local e nacional. Portando, venho te comunicar que estou trocando a delegada da CAAMS...’’, 

Fernanda Mello destacou trechos do regimento interno da OAB e do Regulamento Geral da Ordem para mostrar que, embora a nomeação ou destituição de membros da CAAMS sejam de natureza discricionária, é vedada quando se configura abuso político e desvio de finalidade.  

No documento, a profissional pede imediata restituição ao cargo. 

O espaço está aberto aos citados na reportagem.