TCE SETEMBRO
Menu
quinta, 23 de setembro de 2021 Campo Grande/MS
Sebrae
Campo Grande

Gaeco pede que máfia devolva R$ 89 milhões e cassação do deputado Jamilson Name

Parlamentar se tornou réu por lavagem de dinheiro, exploração do jogo do bicho e organização criminosa

18 janeiro 2021 - 20h21Por Thiago de Souza

O Gaeco, Grupo do Ministério Público Estadual que, junto da Polícia Civil, desbaratou os crimes praticados pela família Name, em MS, pediu à Justiça a devolução de R$ 89 milhões em bens dos réus. Na mais recente denúncia, o MPE quer a cassação do mandato do deputado estadual Jamilson Name. 

Conforme a denúncia, datada de 15 de janeiro deste ano, os promotores acusaram Jamilson Name por crimes como organização criminosa armada, lavagem de capitais e exploração ilegal do jogo do bicho. 

Para chegar ao pedido, além de todas as investigações já feitas, o Gaeco obteve vários indícios de crimes durante a deflagração da 6ª fase da Omertà, chamada de Arca de Noé, em 2 de dezembro do ano passado. 

As informações vieram da análise de conversas telefônicas, mensagens de aplicativos, fotos e vídeos, que mostraram uma complexa e bem organizada rede de exploração do jogo ilegal em Campo Grande, que usava a mesma estrutura financeira e logística do Pantanal Cap. 

Ao todo, 15 pessoas foram investigadas e/ou denunciadas por diversos crimes, com destaque para Eltom Pedro de Almeida. Foi do celular dele que vieram boa parte das informações para embasar a denúncia. Outro destaque fica por conta de Darlene Luiza Borges, conhecida como ‘’Dadá’’, que aparenta ter posição de destaque na organização criminosa e se encontra presa no Presídio Feminino Irmã Irma Zorzi, na Capital. 

A investigação flagrou a negociação de Jamil Name e seus agentes financeiros para a compra de 47 motocicletas em uma concessionária, em Campo Grande, usadas pelos capangas que faziam o recolhimento do dinheiro das apostas e também a entrega do dinheiro dos prêmios. Foram encontrados 200 pontos da venda de jogo do bicho na cidade.

Ao final da denúncia, o MPE pediu que a Justiça autorize a devolução de valores arrecadados ilegalmente pela Família Name e pelos sicários que serviam os chefes. 

‘’Pugna, por fim, pela decretação da perda dos valores encontrados por ocasião do cumprimento dos mandados de busca e apreensão (art. 91, II, CP65), bem como dos bens, direitos e valores relacionados, direta ou indiretamente, à prática dos crimes de lavagem de capitais narrados nos tópicos “4” e “5” desta peça acusatória, como efeito da condenação, no importe de: a) R$ 89.800.000,00...’’, diz trecho da denúncia. 

Os promotores também pedem punição a Jamilson Name, eleito deputado estadual em 2018. 

‘’... como efeito da condenação, seja decretada a interdição dos denunciados para o exercício de cargo ou função pública de qualquer natureza...’’, escreveu a Gaeco. 

O pedido foi feito à 3ª Vara Criminal de Campo Grande. 

Confira a lista dos investigados e ou denunciados pelo MPE. 

Jamil Name;  Jamil Name Filho, Jamilson Lopes Name; Agustinho Barbosa Gomes, o ‘’Agustinho’’; Cícero Balbino, ‘’o Cicinho’’; Cláudio Rosa de Moraes, o ‘’BX’’ ou ‘’Claudião’’; 
Darlene Luiza Borges, a ‘’Dadá’’; José Ney Martins; Leonir Pereira de Souza, o ‘’Léo BX’’; Marcilene de Lima Ferreira; Paulo Sérgio Paes de Lira; Patrícia Pereira Lira, a ‘’Paty Lira’’; 
Raimundo Nery de Oliveira; Renato de Lima Fontalva; Ricardo Alexandre Cáceres Gonçalves e 
Tatiana Freitas, a ‘’Taty’’. 

O espaço está aberto à manifestação dos citados. 

Leia Também

Padre é suspeito de desviar R$ 620 mil para drogas e farras sexuais em casa
Geral
Padre é suspeito de desviar R$ 620 mil para drogas e farras sexuais em casa
Paciente esperam na chuva ou sol por desorganização na USF Vila Fernanda
Campo Grande
Paciente esperam na chuva ou sol por desorganização na USF Vila Fernanda
Sambista Arlindo Cruz era viciado em cocaína, revela filho no Youtube
Geral
Sambista Arlindo Cruz era viciado em cocaína, revela filho no Youtube
Mato Grosso do Sul recebe novo lote com mais de 71 mil vacinas
Cidades
Mato Grosso do Sul recebe novo lote com mais de 71 mil vacinas