TJMS - novembro
tce novembro
Menu
Busca segunda, 18 de novembro de 2019
Cidade Morena

Vacinação Antirrábica estima imunizar 80% dos cães e gatos e será de casa em casa na Capital

Doses são gratuitas e não há efeitos colaterais, conforme CCZ

19 junho 2019 - 17h00Por Nathalia Pelzl

Foi lançada, na tarde desta quarta-feira (19), a Campanha de Vacinação Antirrábica  2019, que tem como objetivo imunizar 80 da população de cães e gatos de Campo Grande.

Conforme a médica veterinária e coordenadora do CCZ, Iara Helena Domingos, isso seria uma estimativa de 128 mil cães e 32 mil gatos, de um total de 170 e 40 mil. Ela destaca que as doses são gratuitas e a vacinação vai ser de casa em casa.

“Vai ser de casa em casa, como é desde 2012, sendo dois grandes grupos de servidores, fazendo bairro a bairro e seguindo cronograma. Todos vão ser vacinados, mesmo que na casa exista mais de um animal”.

A coordenadora destaca que, a vacina não possui efeitos colaterais, tendo como efeito uma possível reação imunológica, que atinge 1 a cada 333 mil casos. Além disto, ela destaque que mesmo que o animal já tenha sido imunizado, pode tomar novamente.

“Pode ser feita com intervalos curtos, mais vacina, mais chance de estar imunizado. Imunizar 80% é o é objetivo da campanha. Só que estamos tendo uma baixa há alguns anos, nós tivemos mais um caso de raiva humana em Santa Catarina, uma senhora de 58 anos, foi mordida por um gato que estava infectado e foi infectada, e no nosso município o risco é maior ainda devido a ser um canal norte e sul de mudança, circula dentro do Estado e Município, não temos ideia da imunização em outros países. No ano passado, foi 68%, bem abaixo do esperado”, comenta.

A orientação do CCZ é que a população abra as portas, aceite a vacina e, caso não esteja em casa quando a equipe estiver no local, procurar a entidade para vacinar o animal.

Outro ponto destacado pela profissional é a questão de alimentar os animais de rua, já que estes podem estar infectados, já que não existe controle e vacinação dos animais nestas circunstâncias, sendo ainda, tal comportamento pode contribuir para proliferação de animais nestas condições.

“Já são 6 casos de morcegos infectados, mesmo que esse animal  tenha o vírus com menos poder de disseminação, só que se esse gatinho de rua, não vacinado, abocanhar esse morcego para se alimentar ele vai ser infectado, e pode infectar um ser humano ou um animal”.

Secretário Municipal de Saúde, José Mauro, destacou que a doença não tem cura, por isso o apelo para a população e a divulgação na imprensa.

"A única saída para essa doença é a vacinação". O prefeito Marquinhos Trad (PSD) também esteve presente no lançamento e destacou que, apesar de não ter surto da doença em Campo Grande, é preciso cautela.