Menu
domingo, 27 de setembro de 2020
Cidades

Boa notícia: número de mortes no trânsito tem queda de quase 50% em MS

Entre janeiro e abril de 2018 foram registradas 73 mortes, este ano o número caiu para 37

04 maio 2019 - 13h45Por Detran-MS

O número de acidentes com vítimas fatais em Mato Grosso do Sul caiu 49,31% nos quatro primeiros meses deste ano com relação ao mesmo período do ano passado. Segundo dados do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul), se entre janeiro e abril de 2018 foram registradas 73 mortes, este ano o número caiu para 37.

Também se verificou queda no número de acidentes com vítimas feridas, passando de 2.987 no primeiro quadrimestre do ano passado para 2.683 no mesmo período deste ano, o que representa uma queda de 10,17%.

No entanto, o Departamento observou um aumento no número de ocorrências sem vítimas neste mesmo período, passando de 3.267 para 4.109 casos, ou seja, 25,7%.

De acordo com o chefe de fiscalização do Departamento, André Canuto, o aumento se explica quando observamos que no mesmo período do ano passado não haviam radares ativos em Campo Grande, o que deixou o motorista um pouco mais à vontade na hora de abusar da velocidade.

“Com isso, os acidentes cresceram, mas sem gravidade. Conseguimos reduzir o número de mortos e feridos, mas, devido à falta de atenção de alguns condutores, aumentou o número de batidas com danos materiais”, concluiu.

Leia Também

Brasil registra 869 novas mortes nas últimas 24 horas
CORONAVÍRUS
Brasil registra 869 novas mortes nas últimas 24 horas
Primeiro castramóvel chega em janeiro e vai atender bairros mais vulneráveis em Campo Grande
Cidade Morena
Primeiro castramóvel chega em janeiro e vai atender bairros mais vulneráveis em Campo Grande
Em dois anos, MS ganha 54 mil eleitores e mulheres definem eleição
Cidade Morena
Em dois anos, MS ganha 54 mil eleitores e mulheres definem eleição
Bebê com atrofia muscular morre após campanha para importar remédio de cerca de R$ 11 milhões
Geral
Bebê com atrofia muscular morre após campanha para importar remédio de cerca de R$ 11 milhões