Menu
Busca domingo, 05 de julho de 2020
ALMS
Cidades

Motoristas brigam por menos regras, mas passageiros de APPs reclamam de queda na qualidade

Entre as reclamações, falta do uso de ar-condicionado, carros velhos e falta de educação

14 janeiro 2020 - 07h00Por Nathalia Pelzl

Diante da polêmica da regulamentação dos motoristas de aplicativo, muitos usuários estão alertas para a qualidade do serviço oferecido em Campo Grande.

Segundo eles, em alguns casos, os carros oferecidos não atendem a necessidade do cliente. “Eu já tive alguns problemas com motoristas sem educação, carro sujo... Claro, não são todos, porém tem uns que não colaboram”, diz a autônoma Cida Oliveira, 33 anos.

A promotora de vendas e eventos Karoline de Campos, 23 anos, diz que também faz o uso dos veículos oferecidos pelos aplicativos. Conforme a jovem, antes os carros eram mais novos e também poucos cancelavam as corridas.

“Antes tinham mais carros novos, agora têm carros mais antigos no mercado. Antigamente davam até balinha, agora alguns que rodam não têm nem ar e a maioria usa dois APPs”.

Ela complementa: “no Centro, principalmente quando é um valor menor que R$ 10, aceitam a corrida e, logo depois já cancelam. Dependendo do horário, se você mora longe, depois das 22h é um horário difícil de conseguir motorista”, diz.

Entretanto, ela comenta que já teve sorte também. “Já aconteceu do motorista ter tudo dentro do carro, guarda-chuva, bala e até lixa de unha. Esse dizia fazer o melhor para o cliente”, finaliza.

Já o técnico de informática Vinícius Eduardo, 22 anos, que usa o serviço todos os dias, conta que nunca teve nenhum tipo de problema “Sempre é tranquilo, costumo usar o aplicativo Uber, por ser mais fiscalizado e o acesso mais restrito. Não uso outros APPs porque é mais livre, os carros são mais prejudicados”, reforça.

Regulamentação

Em Campo Grande, foi aprovada na Câmara Municipal a lei municipal de regulamentação dos motoristas de aplicativo. 

Entre as novas alterações estão a obrigatoriedade do pagamento do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (Issqn), necessidade de curso de capacitação para prestar o serviço e da identificação do veículo utilizado, além do prazo máximo de 8 anos de fabricação do carro, a partir da emissão da do Certificado de Registro e Licenciamento Veicular (CRLV).

Punições

Ainda conforme a nova regulamentação, os motoristas que descumprirem as regras podem ser punidos com multa simples ou diária, retenção ou remoção do veículo, além do recolhimento de documentos e até mesmo a cassação do credenciamento.

Os valores da multa variam de R$ 250 (leves), R$ 500 (médias) a R$ 1 mil para infrações graves.

Leia Também

Homem que matou secretário havia sido demitido por não usar máscara
Polícia
Homem que matou secretário havia sido demitido por não usar máscara
Parceria Governo do Estado e prefeitura garante novo asfalto em vias de Campo Grande
Cidade Morena
Parceria Governo do Estado e prefeitura garante novo asfalto em vias de Campo Grande
SES amplia agendamento de testes de diagnóstico em Corumbá e Três Lagoas
Saúde
SES amplia agendamento de testes de diagnóstico em Corumbá e Três Lagoas
Na luta pela vida, aviões do Estado transportam candidatos a transplante
Saúde
Na luta pela vida, aviões do Estado transportam candidatos a transplante