Menu
quarta, 23 de setembro de 2020
Cidades

SEM TRANSPARÊNCIA: Fetems para no tempo, não presta contas e Estado assume 'bronca' de R$ 1,4 mi

Despesa estaria ligada aos salários da Executiva pagos anualmente pelo Governo do Estado

05 junho 2019 - 07h00Por Da redação

Enquanto diversas campanhas de órgãos governamentais e não governamentais trabalham para proporcionar maior transparência quanto a ações e finanças, a Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems) segue na contramão. Desde 2016, não presta contas sobre suas despesas e/ou recebimentos mensais.

Com a finalidade de ser responsável por congregar e representar os Trabalhadores em Educação nos níveis estadual e municipal, bem como representar filiados aos sindicatos municipais, na defesa de seus interesses, da Educação e do Estado, e buscar soluções para os problemas da categoria, em seu site oficial não há documentos informando os dados necessários.

Pelo Estatuto, a Federação é obrigada a realizar anualmente Assembleia Ordinária para prestação de contas e relatório das atividades desenvolvidas;  e submeter ao Conselho Fiscal para estudo, exame e parecer, a prestação de contas para aprovação pela Assembleia Geral.

No site oficial da Fetems, os últimos registros constam do ano de 2015. Na época apresentava balanço positivo de R$ 946.489,47 e despesas de R$ 790.966,21. No demonstrativo ainda constavam repasses de R$ 36.320,67 da rede estadual e mais R$ 48.334,25, da rede municipal. Além de R$ 44.182,22 de Casa do Trab. Educação.


Site oficial da Fetems. Reprodução.

Despesa com pessoal

Atualmente, a Fetems conta com 21 membros da em sua diretoria executiva, quase todos professores, alguns com remuneração que variam de R$ 1.837,66 a R$ 12.080,59. Como são servidores públicos e estatutários, podem se licenciar de suas funções para se dedicar às suas funções.

Anualmente, o Governo do Estado gasta R$ 1,4 milhão em média para que os membros de sua Executiva possam trabalhar. Pelo Estatuto, a Executa compete: reunir-se ordinariamente 1 (uma) vez ao mês e extraordinariamente quando houver necessidade.

Já quanto a Direção Estadual reunir-se-á ordinariamente a cada dois meses e extraordinariamente todas as vezes que for convocada pelo (a) Presidente, com a presença da maioria simples de seus membros.

Leia Também

Câmara aprova CNH com validade de 10 anos
Política
Câmara aprova CNH com validade de 10 anos
Justiça não consegue intimar Flordelis; deputada não estava em casa
Polícia
Justiça não consegue intimar Flordelis; deputada não estava em casa
Mulher aceita conversar com ex-marido sobre divisão de bens e acaba assassinada a tiros
Polícia
Mulher aceita conversar com ex-marido sobre divisão de bens e acaba assassinada a tiros
Motociclista ferido em acidente na Coophavilla morre na Santa Casa
Polícia
Motociclista ferido em acidente na Coophavilla morre na Santa Casa