Menu
terça, 18 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Geral

Adalia Rose, youtuber que sofria de doença de 'Benjamin Button' morre aos 15 anos

14 janeiro 2022 - 10h38Por Rayani Santa Cruz

Morreu aos 15 anos de idade, a youtuber Adalia Rose Williams. A adolescente ganhou notoriedade ao compartilhar nas redes sociais sobre o dia a dia convivendo com a doença rara Hutchinson-Gilford, também conhecida como "Benjamin Button", em referência ao filme de 2008 estrelado por Brad Pitt.

Segundo jornal Extra, a confirmação da morte pelas condições da doença foi dada pela família de Adalia Rose, nas contas oficiais das redes sociais da youtuber. A família publicou uma foto da jovem, homenageando-a na legenda.

"Adalia Rose Williams está livre deste mundo. Ela entrou em silêncio e saiu em silêncio, mas a sua vida esteve longe disso. Ela tocou milhões de pessoas e deixou a maior marca em todos que a conheceram. Ela não sente mais dor e agora está dançando ao som de todas as músicas que ama. Eu realmente gostaria que essa não fosse a nossa realidade, mas infelizmente é. Queremos agradecer a todos que a amaram e a apoiaram", disse a família em postagens.

A jovem foi diagnosticada pela primeira vez com a síndrome com apenas três meses de idade. Segundo a mãe, Natalia Pallante, os médicos notaram que algo estava errado nas primeiras quatro semanas de vida da menina.

Junto com o rápido envelhecimento prematuro, Adalia também sofria de perda de cabelo, falta de gordura corporal, veias proeminentes, voz aguda e rigidez severa nas articulações. Preocupada com a falta de "crescimento" de Adalia, a então mãe solteira também lembra como a "pele de sua barriga era muito apertada e com aparência diferente".

Dois meses depois, Natalia ficou arrasada com o diagnóstico que mudou sua vida e se lembra de como "era apenas ela e eu e honestamente nos sentimos perdidas". Foi também nessa época que Adalia "começou a perder o cabelo e suas pequenas veias começaram a aparecer mais e sua pele começou a afinar muito mais", contou a mãe. A condição afeta em torno de 500 crianças no mundo inteiro.

Os familiares também agradeceram aos médicos que cuidaram de Adalia durante sua vida.

"Obrigado a todos os médicos e enfermeiras que trabalharam por anos para mantê-la saudável. A família, agora, gostaria de lamentar essa grande perda em particular."