Menu
sábado, 25 de setembro de 2021 Campo Grande/MS
Geral

Ao JN, Moro exibe prova 'batom na cueca' contra Bolsonaro

Troca de mensagens sugere insatisfação do presidente com investigações da PF

24 abril 2020 - 20h47Por Thiago de Souza

O ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, entregou ao Jornal Nacional, nesta sexta-feira (24), prints de conversas entre ele e o presidente Jair Bolsonaro, via aplicativo WhatsApp. Em um deles, Bolsonaro envia uma notícia que deputados bolsonaristas estão sendo investigados e escreve: ‘oh, mais um motivo pra trocar’. 

Conforme o JN, a postagem do presidente seria mais um argumento dado a Moro para que troque o, agora, ex-diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. Para convencer o ex-ministro, o presidente enviou o link de uma notícia do site O Antagonista, cujo título era: 
''PF na cola de 10 a 12 deputados bolsonaristas''. 

Na sequência da troca de mensagens, Moro justifica que não foi a Polícia Federal que abriu investigação contra os parlamentares e sim o ministro do STF, Alexandre de Moraes. 

Moro mostra que presidente quis interferir na PF. (Foto: Reprodução JN)

Não estou à venda

Outro print de conversa, dessa vez com a deputada aliada de Bolsonaro, Carla Zambelli, mostra que a parlamentar insistiu com Moro para que ele aceitasse uma vaga no STF em troca de abrir mão da manutenção de Valeixo à frente da PF. 

Zambelli teria escrito: ‘’eu te ajudo a convencer o presidente JB a te nomear’’. Moro enviou uma resposta: 

''Prezada, não estou à venda''. 

Investigação

O STF recebeu da Procuradoria-Geral da República pedido para abrir investigação sobre as declarações do ex-ministro Sérgio Moro nesta sexta-feira. 

A PGR disse que pode ter havido cometimento de pelo menos cinco crimes por parte do presidente, entre eles, obstrução de Justiça e falsidade ideológica.