Menu
segunda, 25 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
Política

Bolsonaro ENFRENTA Moro e dispara: tem compromisso com ego e não com o Brasil

Ainda acusou Moro de cobrar sim uma vaga no Supremo Tribunal Federal, em novembro

24 abril 2020 - 16h38Por Vinícius Squinelo

"Hoje vocês conhecerão aquela pessoa que tem compromisso consigo próprio, com seu ego e não com o Brasil. O que eu tenho ao meu lado e sempre tive foi o povo brasileiro. Hoje essa pessoa vai buscar uma maneira de colocar uma cunha entre eu e o povo brasileiro". Assim começou o discurso de Jair Bolsonaro, que atacou diretamente Sérgio Moro em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (24).

A fala ocorreu após Moro pedir demissão do cargo de ministro de Justiça, fazendo graves denúncias contra o próprio presidente da República.

"Autonomia não é soberania, a todos ministros e a ele também falei do meu poder de veto", rebateu Bolsonaro, afirmando sobre uma das afirmações de Moro: de que ele queria trocar cargos chaves da Polícia Federal.

Sobre Maurício Valeixo, ex-diretor chefe da PF, demitido por Bolsonaro, Bolsonaro lembrou que 'todos os cargos chaves são de Curitiba', lembrando o local de origem de Moro.
O presidente ainda se disse favorável à Lava Jato. E afirma que botou 'ponto final' na corrupção em estatais. "Estou lutando contra o sistema", garante.

O presidente ainda fez juras de amor à pátria. Negou, porém, interferência na PF. “Oras bolas, se eu posso trocar um ministro, posso trocar um diretor, não preciso de autorização de ninguém”, afirmou.

“É interferir na Polícia Federal quase implorar à Sérgio Moro descobrir quem mandou matar o chefe supremo? A PF de Moro ficou bem mais preocupado no caso Marielle”, acusou. “E venho que meu caso é bem mais fácil de solucionar senhor ex-ministro”.

Uma coisa é ter uma imagem e conhecer a pessoa, outra é conviver com ela. Nunca pedi para a PF me mandar o que quer que fosse”, se defendeu.

Sobre a troca da PF, afirmou: “ontem senhor Valeixo dirigiu a seus 27 superintendentes e falou que desde Janeiro vem falando pro Moro para que vai se aposentar, todos são provas”.

“Eu devo minha vida à Polícia Federal, a esses homens”, sublinhou.

“No dia de ontem conversei com Sérgio Moro, só eu e ele, sempre abri o coração pra ele, já duvido se ele abriu para mim”, afirmou. “Eu nunca pedi para ele o andamento de qualquer processo, até porque a inteligência com ele perdeu espaço para o Justiça. [Eu] Quase que implorando informações”, atacou.

O presidente ainda garantiu que a demissão de Valeixo foi mesmo a pedido. Foi mais longe: ‘o dia que me submeter a qualquer subordinado meu deixarei de ser Presidência da República’.

Ainda acusou Moro de cobrar sim uma vaga no Supremo Tribunal Federal, em novembro. “Eu lamento que quem deveria que mais me defender da legalidade, não o faz”. 

“Eu disse hoje cedo, vocês vão hoje conhecer quem realmente não me quer na cadeira presidencial”. Essa frase não o fim do discurso, mas poderia.