Menu
Busca quinta, 02 de julho de 2020
ALMS
Geral

De MS, integrante “dos 300” foi bancado pelo governo Bolsonaro durante protestos com tochas

Ele é pré-candidato a vereador pelo Republicanos em Campo Grande e defende fechamento do STF

28 junho 2020 - 15h56Por Rayani Santa Cruz

O pré-candidato a vereador pelo Republicanos em Campo Grande, Melquisedeque Sant'ana, 23 anos, pertencente a grupo extremista “300 pelo Brasil” foi bancado pelo governo federal em viagens a Brasília. Isso, porque ele é monitor do Sistema Nacional de Juventude (Sinajuve), ligado à Secretaria Nacional de Juventude, do Ministério dos Direitos Humanos.

De acordo com a revista Época, o defensor da “nova política” e fechamento do Supremo Tribunal Federal tem recebido bolsas mensais de R$ 1,2 mil para "levantar dados sobre as unidades de juventude que aderirem ao Sinajuve no Mato Grosso do Sul" e "disseminar informação sobre o Sinajuve no Mato Grosso do Sul".

Por vezes, o estudante vai à Brasília para cumprir expediente na Secretaria Nacional de Juventude. Uma delas foi naquele fim de maio, quando o grupo chefiado pela extremista Sara Geromini se postou em frente ao STF com tochas e máscaras, ao estilo do grupo neonazista Ku Klux Klan.

Ele confirmou a revista que esteve na manifestação antidemocrática e que faz parte do que ministros do STF intitulam como milícia armada.


Reprodução/REDES SOCIAIS

"Estive sim na manifestação das tochas no Supremo, junto com os 300 e a Sara. Não foi nada nazista como o pessoal falou. Não foi para confrontar, mas para mostrar nosso luto pelo país. Até onde eu sei, não sou alvo do STF. O processo corre em segredo judicial. A gente não sabe, né?", disse Sant'ana, afirmando ter estado em Brasília na ocasião para fazer o cronograma das adesões ao Sinajuve.

Não vê problemas em usar dinheiro do governo

O Portal da Transparência registra que Melquisedeque recebeu R$ 2,7 mil para ficar 11 dias em Brasília em fevereiro e ir à Conferência Nacional de Juventude. O valor foi pago pelo Ministério dos Direitos Humanos, que coordena a Secretaria Nacional de Juventude, pasta da qual a Sinajuve é ligada.

À revista, Melquisedeque Sant'ana ainda declarou não considerar conflito de interesses por participar de protestos antidemocráticos enquanto recebe verba pública, mas anunciou que sairá do Sinajuve para se candidatar a vereador.

Procurada, a Secretaria Nacional de Juventude afirmou que a bolsa a Melquisedeque foi custeada "dentro da regularidade e atendeu a critérios técnicos".

Melquisedeque Sant'ana ainda declarou não considerar conflito de interesses por participar de protestos antidemocráticos enquanto recebe verba pública

 

Melquisedeque Sant'ana é pré-candidato a vereador e recebe bolsa da Secretaria Nacional de Juventude

Leia Também

Homem desenterra corpo da avó e dança com o cadáver pelas ruas de Manaus
Geral
Homem desenterra corpo da avó e dança com o cadáver pelas ruas de Manaus
Mulher de 50 anos morre em Campo Grande e agora as vítimas da covid são 105
Cidade Morena
Mulher de 50 anos morre em Campo Grande e agora as vítimas da covid são 105
Pioneiro, estudo da Cassems mede custos da violência contra mulheres ao plano de saúde
Cidades
Pioneiro, estudo da Cassems mede custos da violência contra mulheres ao plano de saúde
Pedreiro morre depois de engasgar em churrasco para comemorar fim de obra
Polícia
Pedreiro morre depois de engasgar em churrasco para comemorar fim de obra