Menu
sábado, 27 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Polícia

Acusado de matar travesti é pivô de assassinato de manicure na Capital

A esposa de Alisson matou Jenifer Nayara a tiros em janeiro de 2016

16 outubro 2018 - 13h10Por Dany Nascimento e Anna Gomes

O acusado de assassinar uma travesti a tiros em 2015, Alisson Patrick Vieira da Rocha, 24 anos, que está sendo julgado na 1ª Vara do Tribunal do Juri, em Campo Grande, seria o pivô do assassinato de Jennifer Nayara Guilhermete, em janeiro de 2016.

A acusada de cometer o crime seria a esposa de Alisson, identificada como Gabriela Santos Antunes, que confessou ter executado a manicure com disparos de arma de fogo na região do Inferninho. Ele teve um relacionamento com Jenifer e, na data do crime, estaria casado com Gabriela, que era amiga de infância da executada.

Alisson é acusado de matar a travesti Thiago da Silva Martins, conhecida como Adriana Penosa, em março de 2015. Durante o julgamento, o acusado disse que matou a travesti após ser afrontado pela vítima. “Ela me chamou de viado, corno e disse que era mais homem que eu”, declarou Alisson.

Alisson está sendo julgado hoje - Foto: André de Abreu

Após ser insultado por Thiago, o acusado afirma que foi até um lava-jato com uma motocicleta, pegou uma arma de fogo e, acompanhado de seu funcionário menor de idade, voltou na casa e efetuou três disparos de arma de fogo contra a travesti. Thiago tentou correr, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Em seguida, Alisson voltou até o estabelecimento comercial, deixou o funcionário no lava-jato e fugiu para Ribas do Rio Pardo, depois para Coxim, mas foi preso no bairro Nova Bahia, em Campo Grande.  

Após ouvir o acusado, o promotor de acusação José Arturu Iunes Obadila Garcia, afirma que houve crime de corrupção de menores, homicídio e porte ilegal de arma.