(67) 99826-0686

Golpista faz falso depósito de R$ 2,7 mil e desaparece com Siena no Jardim Monte Alegre

Suspeito teria aproveitado para fazer mais uma ação criminosa, mas foi descoberto

14 JUN 2019
Thiago de Souza
07h00min
Foto: Reprodução Facebook

Homem identificado  até o momento como ''Marcelo Augusto'' teria aplicado o golpe do falso depósito de R$ 2.700, na compra de um  Fiat Siena, ano 2002, no Jardim Monte Alegre, em Campo Grande.  Na hora de buscar o carro, o vendedor  não estava em casa e o suspeito  negociou com o sogro dele, que não percebeu a fraude  no comprovante de pagamento.

Conforme o denunciante, que não quer se identificar,  o carro foi vendido a R$ 2.700 por estar com documentação atrasada, na promessa de que o comprador colocasse os débitos em dia e transferisse para o nome dele.

O carro, diz o vendedor, foi posto à venda na segunda-feira (3), no site OLX e pelo Facebook.  O comprador passou a negociar com a vítima e, na sexta-feira (7), foi buscar o veículo, mas ele não estava lá.        

''Meu sogro não entende muita coisa disso, viu um valor de R$ 2.700 e não percebeu que não tinha validado o depósito'', conta o vendedor.

O suspeito, diz a vítima, ainda tentou emplacar outro golpe. Instantes depois de levar o Siena, ele disse ao vendedor que o carro estava com defeito. Como o sogro da vítima tinha um Peugeot 2009 em sua oficina, ofereceu ao golpista, por R$ 10 mil. Este, por sua vez, prometeu fazer novo depósito para inteirar o valor, mas não conseguiu levar o veículo.  

''A sorte que meu sogro foi comprar um chiclete porque ia para a  igreja e viu que não tinha dinheiro na conta'', relatou o genro. Na sequência, em contato com o golpista, ele teria prometido que o dinheiro iria cair por volta de meio-dia de segunda-feira, algo que não ocorreu", diz a vítima. Foi aí que o golpe foi percebido e que o comprador desapareceu.

O genro, dono do Siena, publicou um apelo nas redes sociais na tentativa de achar o suspeito. Várias mensagens chegaram para ele, uma delas, inclusive, dizendo que o carro já teria passado pela mão de várias pessoas. Uma das mensagens dizia que o carro estava com um presidiário e que ele deveria pagar R$ 500 para reaver o bem.

O telefone e o WhatsApp por onde vendedor e comprador negociaram o carro estaria no nome de uma mulher. Na rede social, a vítima publicou a foto dela e também do suposto golpista, cuja imagem foi reconhecida pelo sogro.   

O sogro da vítima prometeu dar queixa  na Polícia Civil.

Veja também