Menu
terça, 18 de maio de 2021
MS CRESCE PELA VIDA 14 a 18/05/2021
Polícia

Monique dava remédios para ansiedade a Henry, diz empregada

Polícia não informou se havia prescrição médica para a medicação que Rosângela disse que a mãe dava ao garoto

15 abril 2021 - 08h20Por Rayani Santa Cruz

O G1 divulgou que a empregada do casal Monique Medeiros e Dr. Jairinho, Leila Rosângela de Souza, disse em novo depoimento à polícia que a mãe do menino Henry dava ao filho remédios para ansiedade.

Segundo o site, ela também admitiu ter visto o menino mancando e com "cara de apavorado" ao sair do quarto do casal no dia 12 de fevereiro, após ficar trancado com Jairinho.

Ao ser ouvida pela polícia pela primeira vez, Leila havia dito que Henry e Jairinho não costumavam ficar sozinhos no mesmo cômodo. No entanto, no novo depoimento, nesta quarta-feira (14), ela acabou voltando atrás sobre os dois terem ficados sozinhos no quarto.

A babá Thayná Ferreira já havia relatado à polícia que Henry estava mancando no dia em que ficou trancado com Jairinho. A informação também constava em mensagem que a babá trocou com a mãe do menino e que a polícia recuperou após ter sido apagada.

No depoimento desta quarta, Leila Rosângela afirmou que Jairinho e Henry ficaram isolados por cerca de 10 minutos em 12 de fevereiro no quarto do casal. Ela disse, no entanto, que não ouviu nenhum barulho porque passava a maior parte do tempo na cozinha.

Questionada por que não contou isso à polícia em seu primeiro depoimento, a empregada disse que não se lembrava dos acontecimentos. Ao ser perguntada, negou que tenha problemas de memória ou tome remédios controlados.

Remédios para ansiedade a Henry

A empregada disse, também, que via o casal tomando muitos remédios, mas não sabe o motivo, e que Monique dava medicação para ansiedade a Henry três vezes por dia , além de xarope de maracujá. Segundo Rosângela, a mãe do menino dizia que os remédios eram dados porque Henry não dormia direito e passava muito tempo acordado.

A polícia não informou se havia prescrição médica para a medicação que Rosângela disse que a mãe dava ao garoto.