TCE Julho  17 a 19/07 e 22 a 25/07
(67) 99826-0686
PMCG - REFIS 01 a 30/07/2019

Um mês após morte de Érika, polícia não tem pistas de suspeito de feminicídio

De acordo com a delegada, a polícia esteve na casa de familiares que alegam que Fábio desapareceu

11 JUL 2019
Dany Nascimento
08h48min
Foto: Arquivo Pessoal/Facebook

Após um mês do assassinato de Érika Aguilar, a polícia ainda não tem informações sobre o paradeiro do suspeito de cometer o crime, Fábio Braga do Amaral, 39 anos. A delegada titular da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Joilce Silveira Ramos, disse ao TopMídiaNews que os familiares dos suspeitos dizem que ele desapareceu.

“Policiais do GOI estiveram na casa dos familiares, mas eles falam que ele desapareceu. As investigações continuam e ele é considerado foragido da justiça”, diz a delegada.

Fábio é acusado de ter assassinado Érika na madrugada do dia 11 de junho, no apartamento da vítima, localizado no residencial Ramez Tebet, em Campo Grande. De acordo com a polícia, o suspeito estrangulou a diarista com um lençol de cama, após ser questionado sobre um possível abuso sexual.

Érika teria perguntado se Fábio teve relações com a filha dela, uma adolescente de 14 anos. A menina contou aos policiais, que a mãe já havia feito a pergunta para ele, que negou ter sido abusada pelo ficante  da genitora. Ela estava dormindo no momento do crime e acordou quando Fábio entrou no quarto, mandando ela ficar quieta.

A adolescente disse que ele mandou a vítima ficar calada e tentou estrangular a mesma dentro do quarto. A menina conseguiu sair correndo e pediu ajuda de um vizinho. Fábio deixou o local, tomando rumo ignorado.

Na semana do ocorrido, Fábio teria demonstrado intenção em se apresentar com um advogado, mas teria desistido da ideia e desapareceu.

Veja também