(67) 99826-0686
Gov - PPA 23 a 27/07

Dinheiro prometido pela aprovação da reforma da Previdência pode ‘vir depois’

Bancada de MS nega benefício; contudo, Bolsonaro ainda não contestou toma lá, dá cá

12 JUL 2019
Celso Bejarano, de Brasília
08h44min
Foto: Arquivo/TopMídiaNews

Correm informações divulgadas pela imprensa nacional, há pelo menos três dias seguidos, que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) prometeu liberar recursos aos deputados federais que votaram pela aprovação do texto-base da reforma da Previdência.

Quarta-feira (10) à noite, 379 parlamentares disseram sim à proposta e 131, não. Entre a bancada de Mato Grosso do Sul, seis deputados votaram favoráveis à reforma proposta por Bolsonaro e apenas dois refutaram a ideia.

O TopMídiaNews, em Brasília, consultou parlamentares de MS dos dois lados – os bolsonaristas e os contrários a eles. Os favoráveis negaram qualquer negociata pela aprovação da reforma.

Pelo noticiado, Bolsonaro teria prometido a distribuição de R$ 3 bilhões a R$ 4 bilhões a seus aliados por meio de emendas parlamentares.

O TopMídiaNews apurou que, ao menos por enquanto, nenhum parlamentar de MS obteve o recurso. E, pela pesquisa, é possível afirmar que o dinheiro não deve sair de imediato. É que existem meios diferentes de o presidente liberar dinheiro.

Pode ser por meio de projetos de lei que ainda deve ser aprovado pelo Plenário da Câmara dos Deputados.

Bolsonaro tem se defendido do eventual toma lá dá cá da política, citando, por rede social, que desde de 2015, a criação da emenda constitucional 86/2015 tornou as emendas parlamentares individuais impositivas. Ou seja, a liberação do recurso independe de decisão do presidente.

Veja também