TCE Novembro
Menu
domingo, 05 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Política

‘Situação se complicou’, admite defesa de advogado preso com Puccinelli

André Puccinelli, o filho e o advogado João Calvez foram presos em 20 de julho

13 agosto 2018 - 16h38Por Diana Christie e Celso Bejarano

A defesa do advogado João Paulo Calves admite que a situação está crítica para os investigados na Operação Lama Asfáltica, encarcerados desde 20 de julho. Nesta tarde, o pedido de reconsideração da prisão foi negado no TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região - SP) e ele deve aguardar o julgamento de mérito do Habeas Corpus.

“Agora iremos aguardar o julgamento do mérito do habeas corpus, para breve, quando existem chances reais de liberdade. A situação se complicou, obviamente, mas cabe à defesa continuar lutando, sempre, jamais desistindo, ainda mais porque trabalho para um advogado, merecedor de todo o empenho”, destaca o jurista André Borges.

Defensor de André Puccinelli (MDB) e de André Puccinelli Junior, ambos presos na mesma ocasião que Calves, o advogado Renê Siufi também afirmou que vai aguardar a tramitação no TRF3. O caso deve ser analisado pela 5ª Turma do órgão, conforme despacho do desembargador Paulo Fontes.

Prisão

André Puccinelli, o filho e o advogado foram presos pela criação do Instituto Ícone de Estudos Jurídicos que, para o MPF (Ministério Público Federal), funcionaria para gerenciar dinheiro de propina.

JBS, a principal empresa investigada na Lava Jato, pagava a Puccinelli altas somas em dinheiro, que ia para a conta da Ícone, depois eram repassadas a integrantes do esquema do ex-governador. Isto segundo o MPF.

Em troca, a JBS era beneficiada com incentivos fiscais. A empresa seria de André Júnior, mas, no papel, quem seria o dono é o advogado João Paulo Calves, o “testa de ferro” da trama, conforme o MPF.