TJMS AGOSTO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sexta, 12 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
Dengue agosto
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
Política

Um terço dos vereadores corre sério risco de não se reeleger, segundo Itop

Pesquisa Itop será realizada todos os meses até as eleições de 2020

28 agosto 2019 - 09h30Por Vinícius Squinelo

A disputa pelas 29 cadeiras de vereadores promete ser acirrada em 2020. Pouco mais de um ano antes da população ir às urnas, 51,8% dos campo-grandenses ainda não tem voto para parlamentar municipal. Os dados são de levantamento realizado pelo Itop (Instituto TopMídia de Pesquisas) neste mês na cidade.

Segundo a pesquisa, 28,8% dos entrevistados não soube ou não respondeu a seguinte pergunta: ‘na sua opinião qual o(a) vereador(a) deveria ser reeleito na Câmara Municipal?’

Dentre os atuais parlamentares, 19 dos 29 vereadores receberam pelo menos um voto de confiança de pelo menos um dos 600 campo-grandenses entrevistados. Outros dez não foram sequer citados.

O vereador Chiquinho Telles (PSD) foi o mais citado, com 8%, seguido de Ademir Santana (PDT) e Valdir Gomes (PP), empatados em segundo lugar, com 6%. Vinícius Siqueira (DEM) aparece na sequência, com 3,5% das citações. O presidente da Casa Professor João Rocha (PSDB) e Odilon Junior (PDT), ambos com 3%, empatam na quinta posição. Veja a lista completa no quadro abaixo:


Não receberam nenhuma menção os seguintes parlamentares: Ayrton Araújo (PT), Dharleng Campos (PP), Dr Lídio (PSDB), Fritz (PSD), Gilmar da Cruz (Republicanos), João César Mattogrosso (PSDB), Junior Longo (PSB), Pastor Jeremias Flores (Avante), Veterinário Francisco (PSB) e William Maksoud (PMN).

Outros 23% dos entrevistados afirmaram que não votariam em nenhum dos atuais vereadores.

A pesquisa foi realizada pelo Itop entre os dias 13 e 18 de agosto e ouviu 600 campo-grandenses, seguindo estatística de idade, sexo e classe social da amostragem da Capital. Importante ressaltar que como ainda não estamos em período eleitoral, não há necessidade do registro do trabalho junto ao Tribunal Superior Eleitoral.