Menu
quinta, 04 de março de 2021
Política

Vereadores são contra volta às aulas da rede municipal sem vacinação

Semed já está fazendo o planejamento para o retorno de forma híbrida

23 fevereiro 2021 - 11h42Por Rayani Santa Cruz

Os vereadores de Campo Grande disseram, nesta terça-feira (23), que são contra a retomada das aulas presenciais da Reme (Rede Municipal de Ensino), sem a vacinação dos profissionais do setor. Para a maioria, a imunização contra a covid-19 antes do retorno é fundamental.

O presidente da ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Professores da Educação Pública), Lucílio de Souza, que usou a Tribuna e falou sobre o tema, também afirmou que é a favor que a volta presencial das aulas seja de maneira hibrida após a vacinação dos professores e demais grupos de risco.

"O protocolo de biossegurança é complemento, mas a vacina é a principal. Só o protocolo não dá conta. Em uma escola, a relação acontece o tempo todo entre jovens e equipe pedagógica. Todos têm que ser vacinados. Essa vai ser nossa busca incessante, a educação tem pressa. Sem a vacina, o retorno presencial fica prejudicado. Alguém vai ter que assumir a culpa se houver um surto de Covid nesse retorno”, cobrou.

No dia 9 de fevereiro, a Casa de Leis promoveu reunião sobre o tema, com a presença da secretária municipal de Educação, Elza Fernandes. Ela esclareceu que as aulas seguem de maneira remota, mas acrescentou que a Secretaria já está fazendo o planejamento para o retorno de forma híbrida (parte da turma no ensino presencial e parte no on-line) antes do dia 1º de julho, atendendo as normas de biossegurança. Deve ser realizada uma consulta pública sobre o assunto.

O que dizem os vereadores

Otávio Trad (PSD) é a favor das flexibilizações com base na imunização. Ele é a favor da volta das aulas com ensino hibrido e citou que Campo Grande tem sido exemplo na imunização mesmo que seja a conta-gotas. Trad apresentou projeto de lei para volta das aulas de forma hibrida com uma porcentagem de alunos e disponibilizando também ensino home office, como já está sendo feito. 

Valdir Gomes (PSD) é totalmente contra o retorno das aulas sem vacinar os profissionais. Ele cita que a Reme não tem condições de retomada presencial sem a imunização. “Temos professores e servidores de idade. A rede particular é outra realidade. Sem vacina não tem como voltar aulas na rede municipal.”

Ayrton Araújo (PT) diz que o retorno das aulas pode aumentar a proliferação do vírus. O parlamentar também é a favor da vacinação. 

Betinho (Republicanos) afirma que a situação é preocupante e também é contra a volta. 

A proposta do Otávio Trad, que se refere ao ensino hibrido, está em tramitação na Câmara e deve ser votada ainda neste trimestre.