TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
segunda, 04 de julho de 2022 Campo Grande/MS
Saúde

Em pandemia de coronavírus, Coren alerta sobre a falta de enfermeiros em hospitais de MS

O Conselho emitiu nota e se diz preocupado em relação ao Hospital Regional da Capital

13 março 2020 - 11h15Por Rayani Santa Cruz

Coren-MS (Conselho Regional de Enfermagem) manifestou preocupação com a falta de profissionais da enfermagem em hospitais de Mato Grosso do Sul. Em plena pandemia de coronavírus, o estado que faz fronteira com dois países pode vir a ter inúmeros casos de pacientes infectados.

Segundo o Conselho, o déficit de enfermeiros e técnicos de enfermagem no Hospital Regional de Campo Grande, oficializado referência no tratamento do Covid-19, e no Hospital da Vida de Dourados, pode acarretar consequências na saúde pública. O Conselho pede que haja a contratação de profissionais com urgência para tratamento e contenção de possíveis casos.

“Somente no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, o déficit calculado por nós é de 454 enfermeiros e técnicos de enfermagem. No Hospital da Vida, atualmente faltam 24 enfermeiros – número menor, porém não menos preocupante, considerando a demanda existente”, diz parte da nota. 

O Coren-MS afirma que já tomou todas as medidas que cabem a um Conselho Profissional, mas até o momento não houve solução efetiva. 

“Ajuizamos Ação Civil Pública, iniciamos rito de interdição ética dos serviços da Enfermagem, colocamos o Ministério Público Estadual a par da situação e participamos de diversas reuniões a fim de resolver o problema. Até o momento, as soluções apresentadas pelos gestores não reverteram o déficit e não se converteram em melhorias significativas no atendimento em Enfermagem”.

Ações da Secretaria Estadual de Saúde

Na quinta-feira (12) foi divulgado que a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e a Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande (Sesau) articulam ações conjuntas para enfrentamento da dengue e do coronavírus (Covid-19).

Entre as medidas estão o custeio e reativação, pelo Estado e pelo Município, de 34 leitos no Hospital Regional, sendo 25 leitos semi-intensivos e nove leitos de UTI. O Município irá fornecer recursos humanos para possibilitar o funcionamento dos leitos e o Estado irá realocar, de forma emergencial, servidores da Saúde para atendimento no Regional. 

Segundo o secretário de Saúde Geraldo Resende, o governador Reinaldo Azambuja garantiu o aporte dos recursos necessários para a locação de equipamentos destinados à implantação dos leitos de UTI no Hospital Regional e também para a contratação de recursos humanos. “O Governo do Estado não tem medido esforços para levar saúde de qualidade para a população e para que Mato Grosso do Sul esteja preparado para, caso necessário, enfrentarmos casos de coronavírus no Estado”, completou o secretário.