Menu
quarta, 21 de outubro de 2020
Saúde

Enfermagem denuncia falta de máscaras no HR em Campo Grande: 'corremos riscos'

Sem a proteção, profissionais improvisam máscaras de 'TNT'

18 março 2020 - 08h44Por Thiago de Souza

Denúncia de profissional da enfermagem do Hospital Regional em Campo Grande dá conta que faltam máscaras básicas para fazer o atendimento a pacientes na unidade. Sem a proteção, eles temem contaminação em tempos do novo coronavírus e outras doenças.

Conforme a profissional, com a falta do equipamento de proteção individual, o jeito é usar a criatividade.

''...os profissionais estão confeccionando máscaras de ''TNT'' por falta das mesmas'', lamentou a trabalhadora.
A situação alegada pela denunciante ocorre desde o último final de semana, dias 14 e 15 de março. Segundo ela, também falta a máscara especial, N-95, que protege também contra o antigo coronavírus, gripe H1N1 e tuberculose.  
Ainda segundo a reclamação, a justificativa da unidade seria a espera por nova remessa.
''Mas até agora não chegou'', completa a profissional.

O detalhe é que a unidade será referência na cidade para doentes do coronavírus.

Resposta

A assessoria do hospital negou a falta dos produtos e que ''os colaboradores seguem o protocolo de segurança com equipamentos para atender possíveis pacientes com coronavírus. As compras dos materiais citados já estão sendo encaminhadas conforme as normas administrativas ocorrendo justamente para evitar qualquer desfalque''.

 

Leia Também

Adolescente é apreendido após tentar esfaquear mãe que impediu compra de droga
Interior
Adolescente é apreendido após tentar esfaquear mãe que impediu compra de droga
Voluntário brasileiro morre durante teste da vacina de Oxford
CORONAVÍRUS
Voluntário brasileiro morre durante teste da vacina de Oxford
Sobrevivente de acidente com carreta tem perna amputada
Interior
Sobrevivente de acidente com carreta tem perna amputada
Autoridades de MS defendem vacina chinesa mesmo com recuo de Bolsonaro
Política
Autoridades de MS defendem vacina chinesa mesmo com recuo de Bolsonaro