TJMS AGOSTO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sexta, 12 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
SENAI SUPER BANNER JULHO E AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
Saúde

Grávida perde bebê após ser mandada para casa por médicos, mesmo com bolsa rompida

Após passar quatro dias aguardando, os médicos decidiram fazer o parto, momento em que perceberam que o bebê havia falecido

24 março 2019 - 17h00Por Da redação/BHAZ

Uma mulher de 27 anos perdeu o bebê prematuro que esperava, de sete meses, após a bolsa dela se romper. A gestante foi orientada por médicos a voltar para a casa usando uma fralda. O caso foi registrado no Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande (SP). Familiares atribuem a morte à negligência médica.

Na última quarta-feira (20) a mulher deu entrada na unidade após sentir dores e perceber que a bolsa amniótica tinha estourado. Exames foram realizados e apontaram que o estado de saúde do bebê era bom. O parto não foi feito nesse dia, pois um médico disse que a gestante não apresentava dilatação suficiente.

Ao receber alta na sexta-feira (22), ela foi orientada a usar uma fralda e que deveria retornar à unidade médica caso sentisse dores, algo que ocorreu na madrugada de sábado (23). Com o marido, a gestante deu entrada no hospital por volta das 2h e tomou soro durante toda a madrugada. Após mais 8 horas aguardando, os médicos decidiram fazer o parto, momento em que perceberam que o bebê havia falecido.

Familiares estão indignados com o ocorrido e falam que cada médico apresenta uma versão para o caso, visto que inicialmente os exames mostravam que o bebê estava bem e depois ele já estava morto. A paciente que é mãe de dois filhos, um de 5 e outro de 7, está abalada e continua internada.

A diretoria do Hospital Irmã Dulce afirmou que a gestante recebeu toda a assistência necessária e que o parto não aconteceu anteriormente, pois exames apontaram que a dilatação era insuficiente. Ainda de acordo com a unidade, o caso será encaminhado e analisado pelo Serviço de Verificação de Óbito.