Menu
quinta, 28 de janeiro de 2021
Retrospectiva 2020

Futebol sul-mato-grossense passou por momentos críticos na pandemia até a conquista do Águia Negra

Falta de suporte, grana curta e poucos investidores, clubes se viraram como puderam no ano

31 dezembro 2020 - 08h55Por Vinicius Costa

O mundo do esporte literalmente parou com a presença da pandemia da Covid-19. Campeonatos foram paralisados por tempo indeterminados, estádios vazios e times tendo situação financeira prejudicada. A situação acabou sendo vista diante nossos olhos, em Mato Grosso do Sul.

O Campeonato Estadual foi paralisado no mês de março com a determinação da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), no qual seguiu a risca as orientações que também foram praticadas na Europa. Porém, a paralisação acabou evidenciando os problemas no esporte sul-mato-grossense, como a falta de suporte, o pouco investimento e o dinheiro curto.

Alguns clubes precisaram deixar que seus jogadores partissem para outros times em busca de condicionamento físico melhor até o retorno do campeonato - alguns estados tiveram o início dos campeonatos em julho. Com o recurso limitado, até a rescisão precisou ser feita.

Veículo rifado para pagar salários

O Operário, um dos times mais tradicionais de Campo Grande, sentiu na pele o quanto a pandemia prejudicou as finanças. Sem dinheiro em caixa para pagar seus jogadores e equacionar as dívidas, o clube decidiu apostar em ações sociais para trazer os torcedores para perto e também arrecadar fundos para os vencimentos dos funcionários.

Uma das ideias foi lançar uma rifa inusitada com a presença de um Volkswagen Fusca com as cores do Operário, além de abastecer o veículo com costela e cerveja. Naquela época, a intenção era que a rifa custeasse pelo menos 40% das dívidas.

Debate para o retorno

O debate mais intenso para a continuação da competição aconteceu em meados de agosto deste ano. Na visão da maioria dos dirigentes, a possibilidade de retornas aos gramados era mínima, por conta da falta de estrutura que os clubes tinham para seguir a risca o protocolo que havia sido estabelecido pela CBF.

Naquela época, a FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul) decidiu estipular um prazo para o recomeço em novembro: treinos iniciando a partir do dia 15 e a bola voltaria a rolar no dia 29. Mas tudo dependeria do avançou ou contenção da curva do coronavírus.

Retorno e conquista do Águia Negra

O campeonato retornou oficialmente no dia 28 de novembro, um dia antes do estabelecido pela FFMS. A competição teve seu pontapé dado novamente a partir das quartas de final e prosseguiu até o dia 23 de dezembro com o último jogo da final entre Águia Negra e Aquidauanense.

O time de Rio Brilhante conquistou o tetracampeonato com a vitória por 1 a 0, após empate sem gols no primeiro jogo. O título deu ao Águia o rótulo de maior campeão de um time do interior de Mato Grosso do Sul.