Menu
Busca quarta, 29 de janeiro de 2020
Polícia

Vídeo: ameaçado por Jamilzinho chora ao ver policial que perdeu o filho em execução

Dono da casa que servia como depósito de armas era ameaçado constantemente e não achava advogado para defesa

25 outubro 2019 - 13h10Por Rayani Santa Cruz e Dany Nascimento

Em depoimento nesta sexta-feira (25), o proprietário de uma casa no Monte Líbano, onde a Polícia Civil encontrou um arsenal de armas, disse que foi ameaçado por Jamil Name Filho e havia deixado o imóvel em troca de uma suposta dívida.

José Carlos de Oliveira se apresentou na sede do Garras acompanhado do advogado Rhiad Abdulahad, contou que conheceu Jamil Filho, em 2001, em uma casa de jogos da família. Ele chegou a perder imóveis em apostas no estabelecimento.

Em 2014, ele diz que estava trabalhando com construção civil  e devido a crise enocômica recorreu a “Jamilzinho” e pediu R$ 80 mil emprestado.

José afirma que combinou a forma de pagamento, mas após o empréstimo era chamado constantemente na casa de Jamilzinho, onde era obrigado a assinar promissórias com outros valores, sendo ao mesmo tempo ameaçado de morte. 

José chorou muito durante o depoimento e segundo ele, as ameaças se tornaram constantes e cada vez que se deslocava à residência de Jamilzinho era recebido com seguranças, espingarda em cima da mesa e taco de beisebol.


(José de Oliveira e advogado Rhiad Abdulahad, Foto: Dany Nascimento)

Dívida e terror

A defesa de José, afirma que ele pagou mais de R$1 milhão em juros. A dívida crescia e virou bola de neve, até que em 2016, ele entregou a casa do Monte Líbano à Jamil Filho, e foi embora do Estado.

 “Ele ordenou que eu sumisse e que fosse embora do Estado. Disse que não faria nada com a minha família. Acabei com a minha vida, com a minha saúde. Eu não posso sair de casa, vinha visitar minha família escondido”, disse.

Sem defesa e pensamento suicida

Oliveira comentou que recebeu a intimação, porém, os advogados que ele procurava também tinham medo e não aceitavam fazer a defesa. Ele só decidiu comparecer à Delegacia após o advogado Rhiad Abdulahad aceitar a causa.

O empresário pensou em se matar dentro do escritório de Jamilzinho, para que ele mesmo “desse fim no corpo”. Mas, desistiu por não conseguir adentrar ao local. 

A defesa entregou à Delegacia alguns vídeos gravados em 2017, em que José aparece sendo coagido a entregar o imóvel a Jamilzinho e com depoimentos contando a saga.

Medo de perder família

O policial aposentado Paulo Xavier que teve o filho Matheus Xavier morto por engano a tiros de fuzil, estava no local e abraçou José Carlos. Os dois vítimas de crimes, choraram e lamentaram a morte precoce de Matheus e do terror em que vivem as famílias.

 “Só quero ter paz, posso morrer desde que meus filhos tenham vida digna. Vida que eu não tenho mais”, lamentou. 

Veja o vídeo:

Dono de imóvel com arsenal chora após depoimento no Garras from Top Mídia News on Vimeo.