Prof Rinaldo
(67) 99826-0686
Gov - Agosto Lilas 09 a 24/08

Marun vai deixar a política... por enquanto!

Ex-deputado vai deixar passar eleição no próximo ano, mas promete voltar...

18 JUL 2019
Diana Christie e Maressa Mendonça
15h00min
Foto: André de Abreu

Com uma história política extensa, o ex-deputado federal Carlos Marun (MDB) deve se afastar dos holofotes nas próximas eleições. É o que ele garantiu nesta quinta-feira (18), durante assinatura da ordem de serviço para reforma do aeroporto internacional de Campo Grande.

“Eu tive uma conversa com o André [Puccinelli], onde eu coloquei a ele que eu não tinha a mínima disposição de participar do próximo pleito. Eu tive uma overdose de política. Você exercer a chefia da articulação política de um Governo Federal, em momentos tensos que nós vivemos, foi quase que uma overdose. Estou precisando dar uma descansada”, revelou.

Marun se refere à passagem como chefe da Casa Civil, durante a gestão de Michel Temer (MDB). Principal articulador do governo, ele ficou até conhecido como ‘pitbull’ do presidente e do ex-deputado Eduardo Cunha, hoje preso, por suas defesas efusivas às medidas de ambos os políticos.

Mas afastado também do Conselho da binacional Itaipu, por decisão judicial, Marun não deve ficar totalmente de fora. Ainda membro do MDB, ele deve ajudar nas decisões do partido e participar das tratativas para escolher um candidato a prefeito em Campo Grande.

“Não estou afastado do partido, estou filiado, participo ainda de algumas reuniões decisivas, mas nas eleições de 2020 eu não vou participar. Na eleição de 2022, principalmente o André sendo candidato, que eu tenho a convicção que vai ser, ele pode contar comigo para disputar qualquer cargo”, complementa.

Isso significa que, nas eleições estaduais, Marun vai voltar com a corda toda. “Em 2022 eu quero ser não um soldado, pelo menos um sargento, nesse nosso exército para levar o André de volta para o governo do estado. Se ele achar que é melhor que eu dispute para deputado estadual, deputado federal, ou que eu seja coordenador da campanha...”, finaliza.

Veja também