TCE 27/10 a 29/10
Menu
quinta, 28 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
Política

Simone Tebet aparece com 0% em pesquisa para presidente em 2022

Luiz Henrique Mandetta só consegue 3% na avaliação do Ipec

24 setembro 2021 - 17h00Por Thiago de Souza

Se as eleições presidenciais fossem hoje, Simone Tebet, do MDB, não passaria para o segundo turno da disputa, caso houvesse. Ela teve 0% em levantamento divulgado pelo Ipec, na noite desta quinta-feira (23). 

Conforme o detalhamento da pesquisa, o nome de Simone foi testado no cenário ''2'', onde concorrem Jair Bolsonaro; Lula; Ciro Gomes, João Dória; Sérgio Moro; Datena; Rodrigo Pacheco; Alessandro Vieira e, claro, Simone Tebet. 

Simone e o colega de Senado dela, Alessandro Vieira, foram os únicos nomes a não pontuar na pesquisa. 

Neste segundo cenário, Lula tem 45% das intenções de voto; Bolsonaro vem com 22%; Ciro Gomes 6%; Sérgio Moro 5%; Datena 3%; João Dória 2% e Mandetta 1%. Nesta condição, Lula está no limite da margem de erro para vencer já no primeiro turno. 

Mandetta se sai melhor que Simone em pesquisa

Mandretta

Entre os sul-mato-grossenses, Luiz Henrique Mandetta, do DEM, é o que se sai melhor na avaliação do Ipec. Foram testados dois cenários com o nome do ex-ministro da Saúde de Bolsonaro. 

Cenário 1 

Lula tem 48% das intenções de voto; Bolsonaro vem com 23%; Ciro Gomes 8%; João Dória 3% e Mandetta 3%.

Cenário 2 

Lula tem 45% das intenções de voto; Bolsonaro vem com 22%; Ciro Gomes 6%; Sérgio Moro 5%; Datena 3%; João Dória 2% e Mandetta e Rodrigo Pacheco, com 1%. Simone Tebet e Alessandro Vieira não pontuaram. 

Ex-ministro

Mandetta foi o primeiro sul-mato-grossense a assumir que deseja disputar eleições presidenciais. Esse desejo veio à tona quando ele foi demitido pelo presidente Bolsonaro do Ministério da Saúde e ganhou popularidade. 

Luiz Henrique já participou até de debate entre possíveis candidatos da chamada 3ª via, promovidos por um grande jornal de São Paulo. O médico, além de Simone Tebet, também esteve no protesto contra o presidente Bolsonaro e o ex-presidente Lula, organizado pelo MBL e pelo Vem pra Rua.