(67) 99826-0686

Vazamento de conversas de Moro é gota d'água na imagem do Judiciário também em MS

Pesquisa Itop indica que quando campo-grandenses pensam no TJ-MS vem à 'mente' ideia de corrupção e gordos salários

10 JUN 2019
Celso Bejarano (Brasília) e Maressa Mendonça (Campo Grande)
13h10min
Foto: André de Abreu

Pesquisa do Itop (Instituto TopMidia de Pesquisa) divulgada nesta segunda-feira (10) mostra que “altos salários” e “corrupção” são as palavras que mais vem à mente da população quando o assunto é Tribunal de Justiça, corte máxima de Mato Grosso do Sul. Desfecho desse levantamento, feito na última semana de maio, poderia crescer ainda mais de modo desfavorável ao Judiciário se já tivesse explodido o episódio implicando o ex-juiz federal Sérgio Moro, agora o todo-poderoso ministro (Justiça) do governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Série de reportagem publicada no fim de semana pelo portal Intercept Brasil revelou que ministro combinava com a Procuradoria da República de Curitiba (PR) as ações que ia tocar em processos que corriam contra investigados na operação Lava-Jato, Lula um deles.

Conversas vazadas indicam que Moro, ainda como magistrado, orientava procuradores que agiam nas denúncias contra os réus, um pecado mortal em se tratando de ética envolvendo um magistrado.

Na sondagem publicada pelo TopMidiaNews, uma das questões mostradas aos entrevistados era: “Quais palavras na sua opinião podem ser associadas ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul?”.

Somadas, “corrupção” e “altos salários” foram a maioria das respostas dos entrevistados de Campo Grande, com 16% ao todo.

Outros 15% dos 600 participantes da pesquisa falaram em “Justiça”.

Especialistas que comentaram o episódio envolvendo Moro reprovaram a atitude do ministro. Inclusive, em Brasília, fala-se nesta segunda em criação de CPI para investigar o ex-magistrado e ainda há correntes que o querem fora do ministro. Ou seja, Moro pôs o Judiciário Federal, ao menos na parte que investiga a Lava-Jato, sob suspeita.

Ainda de acordo com a pesquisa do Itop, o objetivo da “Pesquisa de Opinião Pública de Satisfação e Imagem do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul” é o de conhecer o pensamento da população de Campo Grande em relação ao trabalho desenvolvido pelo TJMS, além de levantar a satisfação da sociedade com a atuação do órgão e descobrir qual serviço público os moradores da Capital mais confiam.

Pelo resultado do levantamento, o Judiciário sul-mato-grossense, não é tão confiável, ao menos na opinião dos entrevistados.

Veja também