Menu
quarta, 24 de fevereiro de 2021
Saúde

Ministério da Saúde centraliza compras de vacinas e previsão é de que MS não consiga adquirir

Estado possui recursos financeiros, mas laboratórios firmam contratos com o órgão federal. O governador Reinaldo Azambuja é a favor do trâmite federal, mas pede celeridade

22 fevereiro 2021 - 11h15Por Rayani Santa Cruz e Willian Leite

O governo do estado de Mato Grosso do Sul não deve conseguir comprar vacinas por conta própria, segundo o governador Reinaldo Azambuja. Isso porque, o Ministério da Saúde centralizou as compras e os laboratórios que possuem as doses dão preferência para o órgão federal.

“Os estados querem comprar vacinas, mas todas as que estão disponíveis são compradas pelo Ministério da Saúde e distribuída através do PNI (Programa Nacional de Imunização). Se tiver algum laboratório que queira vender aos estados, nós vamos comprar. Mas [creio que] isso, não vai acontecer e o Ministério está centralizando as compras para distribuir aos 27 estados. Sou defensor do PNI e que [a compra] precisa ser organizada pelo Ministério, mas a gente precisa de pressa para comprar mais e vacinar mais para que pelo menos até o meio do ano a metade da população que está na faixa de risco seja vacinada.”

Azambuja explicou que existe a ansiedade para receber novas doses. E que a centralização do Ministério é fundamental para que os estados não ‘entrem em uma briga de obstáculos’ para adquirir os imunizantes. 

Para Reinaldo os países que já avançaram na imunização contabilizam quedas em mortes e casos de infectados. Está previsto para amanhã a entrega de mais doses em Mato Grosso do Sul. 

Veja o vídeo: