TJMS dezembro
Menu
Busca quarta, 11 de dezembro de 2019
Top Esporte

"Foi o destino. Se o Neymar estivesse na Seleção, eu não jogaria", diz Éverton Cebolinha

Craque do Grêmio foi a grande revelação da Copa América. Melhor jogador da final, artilheiro. E já se prepara. Sabe que o futuro será na Europa

08 julho 2019 - 10h17Por Da redação/Portal R7

Rio de Janeiro, Brasil

Maracanã

"O destino me ajudou muito.

"Só pode ser.

"A lógica indica que o Neymar seria o titular.

"E eu não jogaria.

E eu teria pouquíssima chance de entrar nesta Copa América.

"Mas o corte dele mudou tudo.

"Nunca poderia imaginar que seria o artilheiro dessa Copa América e o melhor jogador da decisão. 

"A ficha não caiu.

"Parece que não é comigo.

"Só lembro o que o Renato Gaúcho me falou. 

""Vai pra cima".

"E eu fui..."

Éverton Cebolinha não poderia ser mais espontâneo, na zona mista do Maracanã, após o jogo mais importante de sua vida.

"Olha, eu tenho certeza que a minha atuação nesta Copa América serve como referência. Para o futebol brasileiro. Aqui há muitos jogadores importantes e só são valorizados os que atuam no Exterior. Não pode ser assim. Nós que estamos aqui temos muito talento."

Mas depois do desabafo, Éverton Cebolinha teve de encarar a realidade.

"Olha, esse tempo todo que durou a Copa América, eu não quis mesmo saber do meu futuro. Mas a partir de amanhã, vou cuidar do meu futuro. 

"Eu não sei se vou voltar para o Grêmio ou vou para um clube da Europa. Mesmo sem querer, ouvi muita coisa.

"Infelizmente, os clubes do Brasil não têm condições financeiras de competir com os clubes europeus.

"Mas se eu for, saio muito feliz.

"Pelo que fiz no Grêmio e pela Seleção.

"O que está acontecendo comigo é coisa de destino.

"Só pode ser..."

Manchester City, Manchester United e Milan já procuraram o Grêmio para tentar negociar Éverton Cebolinha...