TCE JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
terça, 28 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Interior

Assassinos de pai e filho em fazenda de Amambai são indígenas; um é menor

Uma das vítimas foi morta com golpes de facão

18 janeiro 2022 - 15h51Por Thiago de Souza

Os dois suspeitos de torturarem e matarem pai e filho, em 14 de janeiro, em uma fazenda de Amambai, são indígenas, um deles menor de idade. O crime chocou moradores da cidade pela brutalidade. 

A informação é do Ponta Porã Informa, que teria obtido da Polícia Civil local. Segundo a publicação, os dois autores já foram identificados, assim como já se sabe a motivação do assassinato. 

Ainda segundo o site local, a divulgação da imagem da pistola 7.65 mm, feita pela Polícia Civil, foi fundamental para a identificação dos suspeitos. A arma não foi usada no crime e é incomum ser encontrada em ações e investigações policiais. 

O trabalho da polícia se concentra agora em encontrar os dois fugitivos. 

                                        

                                                Olenir e Antônio foram mortos na fazenda deles, em Amambai. (Foto: Reprodução Ponta Porã News)

O crime 

Olenir Nunes da Silva, 50 anos e o filho, o engenheiro agrônomo, Antonio Alexandre Nunes da Silva, 23 anos, tiveram a fazenda invadida por dois suspeitos, na manhã de 14 de janeiro, em Amambai. 

O filho foi amarrado em um dos cômodos da propriedade. Instantes depois, o pai percebeu a ação dos criminosos, trocou tiros e morreu baleado. Na sequência, a dupla voltou à sede da propriedade e executou Alexandre com golpes de facão. 

Um irmão de Olenir, que fica na fazenda vizinha, ouviu os disparos e foi ao socorro das vítimas. Ele chegou a trocar tiros com os suspeitos, que fugiram pela vegetação. 

A suspeita da polícia é que os criminosos, que estavam encapuzados, queriam roubar gado na propriedade, por isso a linha de investigação é de latrocínio. 

Amigos das vítimas, sobretudo proprietários rurais, ofereceram recompensa de R$ 50 mil, por informações que levem aos criminosos.