Menu
Busca sexta, 15 de novembro de 2019
Política

Certo ou errado? Prefeito alega desinteresse por vaga, contrata a sobrinha e caso chega ao MPE

Há três meses, farmacêutica recebe R$ 2.105 de prefeitura para atuar no presídio da cidade

05 julho 2019 - 07h00Por Thiago de Souza

O prefeito de Dois Irmãos do Buriti, Edilsom Zandona de Souza (PSDB), conhecido como ‘Manguinha’, contratou a própria sobrinha para atuar como farmacêutica no presídio local. Ele justifica que os concursados não se interessaram pela vaga, mas o caso foi parar no Ministério Público Estadual e virou polêmica na cidade. 

Barbara Andrieli Souza Reis chegou a prestar concurso público para outro cargo na prefeitura, em 2016, mas não foi aprovada. Sendo a única interessada para atuar como farmacêutica, ela vem recebendo R$ 2.105 da prefeitura há três meses, conforme mostra o Portal da Transparência. 

O secretário de Saúde local, Carlos Alberto Serafim, conhecido como ‘’Branco’’, assume que foi ele quem a contratou. 

"Não tinha outro jeito. Não tem profissional na cidade. A proposta [do concurso] é abaixo do mercado. Os quatro que passaram no concurso não quiseram", lamentou o secretário. 

 Ele diz que colocou a oferta da vaga no presídio nos grupos de WhatsApp, mas ninguém se ofereceu. 

"Demorou três meses para conseguir uma farmacêutica para o hospital. Como vamos fazer? Tive que tomar a decisão, pois o presídio não pode ficar sem", explicou Branco. Ele acrescenta que, no presídio, há a questão dos medicamentos controlados e a falta de administração deles pode resultar até em rebelião. 

Manguinha pode virar alvo do MPE por nepotismo. (Foto: Fábio Karlão)

Branco disse ter ciência que algum morador denunciou o caso ao Ministério Público Estadual. Ele conta que Bárbara foi chamada para prestar informações ao MPE. 

"A promotora ouviu ela e provavelmente vai me chamar", estimou o secretário. 

Fonte do TopMídiaNews na região informou que Barbara conta que teria recebido "autorização" do Ministério Público Estadual para seguir na função. 

Já a assessoria do MPE informou que a Promotora de Justiça em substituição, Bianka Mendes, ressaltou que o Ministério Público encaminhará ofício para a Prefeitura pedindo cópia do contrato de prestação de serviço ou portaria de nomeação de Barbara. 

"... após isto, referidos documentos serão analisados. Caso constatada a prática de nepotismo, o MPMS irá adotar as devidas providências visando a solução da possível irregularidade".

Tentamos novo contato com Manguinha, mas as ligações não foram atendidas.