TJMS AGOSTO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sexta, 12 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
SENAI SUPER BANNER JULHO E AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
Política

Com proibição de TSE, Harfouche e Mandetta disputam vaga de candidato ao Senado

União Brasil, de Rose Modesto, terá de escolher entre o ex-ministro e o ex-procurador para disputar o cargo

29 junho 2022 - 14h39Por Rayani Santa Cruz

Após o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidir que partidos coligados para concorrer ao governo do Estado não podem fazer duas alianças para emplacar candidaturas duplas ao cargo de senador, o procurador licenciado Sergio Harfouche (Avante) garante que será o futuro candidato da chapa com a pré-candidata ao governo Rose Modesto (União).

Se ele estiver certo, o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (União) corre sérios riscos de ser excluído e perder espaço.

A decisão tomada pelo Plenário do TSE foi votada dia 21 de junho. Agora, o União Brasil de Mato Grosso do Sul terá de escolher entre os pré-candidatos Mandetta e Harfouche.

Crava pré-candidatura

Mandetta bateu o martelo durante entrevista ao programa Papo Reto, do TopMídiaNews, de segunda-feira (27), e afirmou que é pré-candidato, extinguindo quaisquer possibilidades de desistência de concorrer ao Senado.

"Sou pré-candidato ao Senado, e não tenho dúvidas de que irei disputar as eleições. O debate para o Senado interessa muito ao eleitor. O primeiro espaço que vejo é se propor um debate amplo para representação no Congresso. O nosso Estado precisa encontrar o seu caminho em várias áreas como: energia, educação e saúde, emprego e renda e muitos outros. Vamos para o debate", disse ele.

Acreditam na aliança

Com confiança extrema na aliança, o presidente do Avante, Lucio Soares, garante que Harfouche já é o escolhido pela chapa, disse que “não tem dúvidas” de que Modesto vai escolher o procurador para acompanhá-la na chapa majoritária, já que a pré-candidata vem buscando parceiros para fortalecer a campanha. 

“Não tenho dúvida de que tanto a Rose quanto o União já optaram [por Harfouche], tanto que o nosso segundo suplente é do União e indicado pela Soraya. Então, isso prova que já foi escolhida em tempo a chapa.” 

Em pré-campanha, Harfouche já compôs o grupo ao Senado tendo como primeiro suplente o produtor rural de Chapadão do Sul Alberto Schlatter (Podemos) segundo suplente o pastor da Igreja Quadrangular, Jacson Luvizotto (União Brasil). 

O presidente do Avante está crente que Mandetta não terá chances de sair ao Senado, tendo de se contentar com disputa de deputado federal. “O Mandetta não agrega em absolutamente nada [ao Senado] ao projeto da Rose, a não ser pela alta taxa de rejeição que ele tem. Então, o Mandetta deve ser, e se assim ele desejar, um candidato a deputado.” 

Harfouche está confiante

Harfouche está confiante e diz que a decisão do TSE já era esperada, por ser mais coerente com o sistema majoritário. “É bem mais justo, visto que, se admitisse dois ou mais registros para legenda do Senado em coligação para Governo, nem assim haveria distribuição equânime de distribuição de recursos e tempo de TV e rádio, o que não é interessante para partidos menores . Perder-se-ia o propósito da coligação a estes.”

O pré-candidato diz que será o candidato da chapa.

"Quanto a definição, eu tenho convite do União  e Podemos para única representação como pré-candidato ao Senado do Avante/União/Podemos e confio que assim será."